Seguidores

domingo, 11 de dezembro de 2011

No lugar da dilma, presidente do brasil, o que você faria? calaria e respeitaria a liberdade de expressão ou...?




NOTA:

"Conhecido por suas declarações preconceituosas contra negros e homossexuais, o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) protagonizou nesta quinta-feira (24) mais um discurso polêmico na tribuna da Câmara.

Durante a manhã, quando protestava contra a campanha elaborada pelo governo para combater o preconceito contra homossexuais nas escolas, em especial a divulgação de um "kit anti-homofobia" elaborado pelo Ministério da Educação, Bolsonaro afirmou que a presidente Dilma Rousseff deveria logo "assumir" se o seu negócio é "amor com homossexual".

"São 180 itens. O kit gay não foi sepultado ainda. Dilma Rousseff pare de mentir! Se gosta de homossexual, assuma! Se o seu negócio é amor com homossexual, assuma, mas não deixe que essa covardia entre nas escolas do primeiro grau! Tudo o que foi tratado ontem foi com a temática LGVT para os livros escolares. Criam aqui bolsa de estudo para jovem LGVT, estágio remunerado para lésbicas, gays, bissexuais etc.!"

E continuou: "Então, pessoal, é o presente de Natal que a Dilma Rousseff está propondo para as famílias pobres do Brasil. Ou seja, o dia em que a maioria da garotada nas escolas for homossexual, está resolvido o assunto... Será que o Fernando Haddad ministro da Educação, como prefeito de São Paulo, vai implementar a cadeira de homossexualismo nas escolas do 1º Grau?".



NOTA EXPLICATIVA:

o voto é secreto. não estava por aqui no dia da eleição. liberdade com responsabilidade. não confundamos imunidade com impunidade. não voto, não votei nem votarei no bolsonaro. não comungo com as suas ideias. simplesmente. embora respeite-as. assim como respeito os que comungam com as ideias deles. espero, pois, sabedor dos amigos generosos e inteligentes que encontrei neste espaço, ouvir sua opiniões. depois, se possível, darei a minha.

felicidades. nunca esquecer: gosto muito de vocês!

carmem e sempre carmem. a irmã (voto em trânsito) das manhãs.

__________________

Pergunta
e notas feitas por Carmem Germana Parente no portal Yahoo!Respostas.
 
1ª Resposta dada por Tyler.

2ª Resposta dada por Bill.
__________________
 
Tyler:
 
E quando o Lula brincou dizendo que Pelotas era ''exportadora de vi@dos'', alguém lembra? NÃO!

E quando a Marta Suplicy fez a mesma brincadeira com o Kassab, alguém falou alguma coisa? NÃO.

Agora, o Bolsonaro questionar se Dilma tem um amor por homossexual (NEM SE COMPARA COM QUE O LULA DISSE), TODO MUNDO cai matando em cima dele.

Acho que deveria haver uma coerência entre as partes. E não acho Bolsonaro homofóbico não, ele mesmo fala numa boa que não é. Vai chegar um tempo que se eu não quiser beijar uma pessoa do mesmo sexo do que eu, eu serei taxado como HOMOFÓBICO, e já estão querendo enquadrar homofobia no mesmo quadro de TORTURA.

Reflitam, não sejam doutrinados pela mídia esquerdista (que o PT CONTROLA).
 
__________________
 
Comentário de Bill sobre a respostas de Tyler:
 
Tyler mereceu a MR, bem observada essa questão do domínio petista sobre a mídia.
 
__________________
 
  Bill: 
 
 
Oi, Carmem!

O "kit anti-homofobia" não é para fins de conscientização, mas doutrinamento. Um Estado verdadeiramente democrárico não implantaria tal ideia e muito menos criaria essas cotas mencionadas. Não tem como promover a igualdade através da desigualdade.

Minha opinião sobre o "kit-gay" e essa.

Entretanto, não posso apoiar a forma como o Bolsonaro costuma transmitir suas ideias. Ele é capitão da reserva do Exército e pensa que os militares ainda fazem parte da casta dominante da nação, por isso, acha que pode ofender, humilhar e tal, que nada acontece.

Sua postura extremamente intolerante contra qualquer indivíduo que seja diferente dele próprio é absurda. Se a ideia dele é combater a propaganda gay e antidemocrática por parte do governo, sua postura apenas vai ajudar àqueles a quem ele critica.

Muitos são contra a propaganda e doutrinamento gay que o governo quer fazer, mas o Bolsonaro não representa essas pessoas, ele representa apenas a si mesmo e seus amigos de farda.

Convém lembrar que essa postura radical e agressiva do Bolsonaro não é exclusividade dele, os principais representantes das ONGs gays são iguais (ou até piores), mas são acobertados pela mídia, logo, ninguém fica sabendo.

O kit-gay foi projetado por uma dessas ONGs.

Pra concluir, quero deixar bem claro que não sou contra os direitos civis dos gays, por mim, podem até se casar, caso queiram.

Cada um é responsável por sua vida e suas escolhas.

Sou contra a imposição de valores gays para a sociedade e a concessão de "super-direitos" em detrimento do restante do povo brasileiro que já é obrigado a conviver com diversos tipos de injustiças.

Se a ideia é estabelecer uma convivência pacífica e harmoniosa entre todo o povo brasileiro (gays ou não), então, o governo está no caminho errado, pois está, na verdade, reforçando o preconceito em ambos os lados.

É isso.

Bjs.

2 comentários:

  1. Bill, sou Homossexual e nunca tinha pensado por esse lado. Gostei do seu comentário. Me fez refletir e chegar a uma conclusão: Impor valores, por mais puros e inocentes que sejam, não deixam de ser imposição. Nós homossexuais, lutamos a todo tempo para que a "supremacia heterossexual" não contamine a todos de forma a criar uma sociedade doente pelo temor de ser diferente e pela raiva que muitos heterossexuais assumem com o diferente, e muitos deles não sabem nem a origem deste ódio todo. É um inconsciente coletivo de padrões que homossexuais vivem lutando para quebrar.

    Paradoxalmente estamos indo pelo mesmo caminho. Pois da mesma forma que heterossexuais impõe seu modo de viver, os homossexuais também estão indo pelo mesmo lado. Nossas crianças devem entender a não-violência como um todo, assim como também a liberdade de expressão que as pessoas tem o direito de ter. Mesmo não tendo uma cartilha especifica nas escolas, a violência de nenhum ângulo deve ser exaltada e aplaudida.

    Nós homossexuais, conseguirmos nossos direitos civis, como qualquer outra pessoa e conseguirmos respeito para abolir a pratica cruel de violência verbal e física, já é o suficiente. De resto, não vejo a necessidade de esfregar qualquer modo de vida na cara de ninguém, pois não quero que outros esfreguem seus modos na minha.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, Lívia, pelo comentário. Concordo contigo.

    ResponderExcluir