Seguidores

segunda-feira, 18 de junho de 2012

É preferível ser animado pelo elogio ou ser salvo pela crítica?





_______________

Pergunta feita por Najinha no portal Yahoo!Respostas.

1ª Resposta de LEE - O GRÃO DRUÍDA.

2ª Resposta de O Procurador quase chegando lá.

3ª Resposta de Madan.

4ª Resposta de ஐ α ŧємρєsŧαdє ஐ.
__________________

LEE - O GRÃO DRUÍDA



Quando começam a me elogiar demais, logo ligo as antenas da cabreirice. Esmola demais santo desconfia.

elogios que vêm recheados de esperteza e segundas intenções camufladas. Me critique com ponderação. Mostre em que não correspondi adequadamente ao esperado, seja aberta ao diálogo sem me jogar na parede, espremer meus miolos ou sacrificar no que demorei em construir... Sendo assim, bem vinda a crítica.

Corro de elogios puxa-saco.

 __________________

O Procurador quase chegando lá


Toda crítica é construtiva, tudo depende de como a recebemos e interpretamos.

Todo elogio é destrutivo, pois massageia o ego e facilita a vaidade. Nenhuma vantagem a não ser, satisfação pessoal.

 __________________

Madan


Apesar de ser muito mais agradável ouvir um elogio do que uma critica, prefiro a critica. Como já foi dito por outro usuário, a questão está em saber receber essa critica e fazer com ela o melhor, torná-la uma força que nos impulsione e não que nos enfraqueça. A crítica tem a capacidade de construir, os elogios são aprovações. E as aprovações são necessárias para nossa autoestima. Mas em contrapartida o excesso de autoestima nos cega, as criticas possuem a capacidade de abrir nossos olhos. Abraços...
 __________________


Olá Najinha...

Às vezes precisamos ser animados por um elogio, sabe, vejo que por causa de tanta maldade, às vezes não podemos fazer um elogio sem parecer interesse ou falsidade...

Só somos salvos por uma critica, qdo essa vem com amor... Pode ser dura, pode te derrubar no chão, mas se for por amor vai te salvar, pois vai abrir sua mente...

Ventos de Paz!!

domingo, 17 de junho de 2012

Somos amados por sermos bons ou somos bons porque somos amados?


Bom samaritano


_______________

Pergunta feita por Najinha no portal Yahoo!Respostas.

1ª Resposta de Lady in red. 

2ª Resposta de Bill.
 __________________


Sabe que a primeira alternativa faz sentido???

Muitas vezes as pessoas "nos amam" pq lhes é conveniente.

A partir do momento que deixamos de ter "serventia”... Não somos mais dignos do sentimento de determinadas pessoas.

Estranho isso, não?

Pois é... Por isso te digo que o amor, quando verdadeiro... Deixa cair todas as máscaras, transparece a mais pura verdade. E nessas horas não há lugar para conveniências.

♥♥♥ Beijos Najinha ♥♥♥

 
__________________
Oi, Najinha!

Depende.

Acredito que as duas coisas são possíveis, assim como uma terceira também.

Passei uma fase crítica há alguns anos, fui expulso de minha igreja de criação e até minha família me repudiou.

Não havia amor em parte alguma.

Reergui-me sozinho, apenas Deus estava comigo. Se houve algum amor, foi o de Deus e de mais ninguém.

É isso.

Bjs,

Graça e paz.
 

O que na verdade para você move esse mundo de seres imperfeitos e sonhadores?




NOTA:

voltei! mais uma vez voltei! se não f oi para ficar, foi para ter o prazer de ler as inteligentes e generosos respostas dos amigos! pouco a pouco, sem cerveja no freezer a me esperar - não bebo - estou voltando! a fila anda! a terra se move! ambição. inveja. ódio. rancor. amor... amor também! o mundo se move. é movido pelas contradições entre os homens. estou voltando! todos felizes! adoro vocês! vocês me fazem bem!

percebi: voltei exclamativa como nunca fui!

um bom tempo fora deste espaço foi o suficiente para mostrar a esta jovem que sinto a falta de vocês! minhas notas. palavras ao vento. entrelinhas. tudo no devido lugar. um belo fim de semana para todos. um desejo sincero.

o que move afinal esse mundo, vasto mundo mundo, em que eu que não me chamo raimundo nem pensar em solução eu posso ?

todos felizes. é o meu desejo. é uma necessidade.

carmem e sempre carmem. a (eterna) irmã das manhãs.


________________

Pergunta feita por Carmem Germana Parente no portal Yahoo!Respostas.


Resposta de Bill.
 __________________ 


 
Oi, Carmem!

Seja bem-vinda de volta.

No filme Matrix eu vi uma frase interessante dita pelo Merovíngio: "a liberdade é uma ilusão criada pelos poderosos".

Isso é verdade.

O que move o mundo são os interesses dos poderosos, nós somos apenas os instrumentos úteis para esse fim.

Outra frase interessante de filme Matrix é: "a ignorância é uma benção".

O alienado é feliz, pois nada sabe, então, sofrer pelo quê? Mesmo ao ser conduzido como gado pra lá e pra cá, ainda assim, vive feliz e contente com seu futebolzinho, baladinha, "fuminho" esperto e etc. Vive como se fosse apenas um objeto, uma "coisa" qualquer.

Não movemos nada, apenas somos movidos sem saber para onde e o porquê, mas, somos felizes, né?

É melhor ser feliz do que ter razão.

É isso.

Bjs,

Graça e paz.

quarta-feira, 13 de junho de 2012




AMOR SEM LIMITE


Quando a gente ama alguém de verdade
Esse amor não se esquece
O tempo passa, tudo passa, mas no peito
O amor permanece
E qualquer minuto longe é demais
A saudade atormenta
Mas qualquer minuto perto é bom demais
o amor só aumenta

Vivo por ela
Ninguém duvida
Porque ela é tudo
Na minha vida

Eu nunca imaginei que houvesse no mundo
Um amor desse jeito
Do tipo que quando se tem não se sabe
Se cabe no peito

Mas eu posso dizer que sei o que é ter
Um amor de verdade
E um amor assim eu sei que é pra sempre
É pra eternidade

Quem ama não esquece quem ama
O amor é assim
Eu tenho esquecido de mim
Mas d'ela eu nunca me esqueço

Por ela esse amor infinito
O amor mais bonito
É assim nosso amor sem limite
O maior e mais forte que existe


Roberto Carlos




domingo, 10 de junho de 2012

Quanto custa um milagre???




Uma garotinha foi para o quarto e pegou um vidro de geleia que estava escondido no armário e derramou todas as moedas no chão.

Contou uma por uma, com muito cuidado, três vezes. O total precisava estar exatamente correto. Não havia chance para erros.

Colocando as moedas de volta no vidro e tampando-o bem, saiu pela porta dos fundos em direção à farmácia Rexall, cuja placa acima da porta tinha o rosto de um índio.

Esperou com paciência o farmacêutico lhe dirigir a palavra, mas ele estava ocupado demais. A garotinha ficou arrastando os pés para chamar atenção, mas nada. Pigarreou, fazendo o som mais enojante possível, mas não adiantou nada. Por fim tirou uma moeda de 25 centavos do frasco e bateu com ela no vidro do balcão. E funcionou!

- O que você quer? - perguntou o farmacêutico irritado. - Estou conversando com o meu irmão de Chicago que não vejo há anos -, explicou ele sem esperar uma resposta.

- Bem, eu queria falar com o senhor sobre o meu irmão -, respondeu Tess no mesmo tom irritado. - Ele está muito, muito doente mesmo, e eu quero comprar um milagre.

- Desculpe, não entendi. - disse o farmacêutico.

- O nome dele é Andrew. Tem um caroço muito ruim crescendo dentro da cabeça dele e o meu pai diz que ele precisa de um milagre. Então eu queria saber quanto custa um milagre.

- Garotinha, aqui nós não vendemos milagres. Sinto muito, mas não posso ajudá-la. - explicou o farmacêutico num tom mais compreensivo.

- Eu tenho dinheiro. Se não for suficiente vou buscar o resto. O senhor só precisa me dizer quanto custa.

O irmão do farmacêutico, um senhor bem aparentado, abaixou-se um pouco para perguntar à menininha de que tipo de milagre o irmão dela precisava.

- Não sei. Só sei que ele está muito doente e a minha mãe disse que ele precisa de uma operação, mas o meu pai não tem condições de pagar, então eu queria usar o meu dinheiro.

- Quanto você tem? - perguntou o senhor da cidade grande.

- Um dólar e onze cêntimos -, respondeu a garotinha bem baixinho. - E não tenho mais nada. Mas posso arranjar mais se for preciso.

- Mas que coincidência! - disse o homem sorrindo. - Um dólar e onze cêntimos! O preço exato de um milagre para irmãozinhos!

Pegando o dinheiro com uma das mãos e segurando com a outra a mão da menininha, ele disse:

- Mostre-me onde você mora, porque quero ver o seu irmão e conhecer os seus pais. Vamos ver se tenho o tipo de milagre que você precisa...

Aquele senhor elegante era o Dr. Carlton Armstrong, um neurocirurgião. A cirurgia foi feita sem ônus para a família, e depois de pouco tempo Andrew teve alta e voltou para casa.

Os pais estavam conversando alegremente sobre todos os acontecimentos que os levaram àquele ponto, quando a mãe disse em voz baixa:

- Aquela operação foi um milagre. Quanto será que custaria?

A garotinha sorriu, pois sabia exatamente o preço: um dólar e onze cêntimos! - Mais a fé de uma criancinha.

Em nossas vidas, nunca sabemos quantos milagres precisaremos.

Um milagre não é o adiamento de uma lei natural, mas a operação de uma lei superior.



MEU JURAMENTO PARA VOCÊ.

Quando você estiver triste... Vou secar suas lágrimas.

Quando você estiver com medo... Eu lhe darei conforto.

Quando você estiver preocupado... Vou dar-lhe esperança.

Quando você estiver confuso... Vou ajudá-lo a enxergar.

E quando você está perdido... E não pode ver a luz, Vou ser o seu farol... Brilhando cada vez mais.

Este é o Meu juramento... Prometo até o fim...

Por quê? Você pode perguntar... Porque você é meu filho.

Assinado: DEUS


sábado, 9 de junho de 2012

Deixe a raiva secar...




Mariana ficou toda feliz porque ganhou de presente um joguinho de chá, todo azulzinho, com bolinhas amarelas.

No dia seguinte, Júlia sua amiguinha, veio bem cedo convidá-la para brincar.

Mariana não podia, pois iria sair com sua mãe naquela manhã.

Júlia, então, pediu à coleguinha que lhe emprestasse o seu conjuntinho de chá para que ela pudesse brincar sozinha na garagem do prédio.
         
Mariana não queria emprestar, mas, com a insistência da amiga, resolveu ceder, fazendo questão de demonstrar todo o seu ciúme por aquele brinquedo tão especial.

Ao regressar do passeio, Mariana ficou chocada ao ver o seu conjuntinho de chá jogado no chão.

Faltavam algumas xícaras e a bandejinha estava toda quebrada.

Chorando e muito nervosa, Mariana desabafou:

"Está vendo, mamãe, o que a Júlia fez comigo?”

Emprestei o meu brinquedo, ela estragou tudo e ainda deixou jogado no chão.

Totalmente descontrolada, Mariana queria, porque queria, ir ao apartamento de Júlia pedir explicações.

Mas a mãe, com muito carinho ponderou:

"- Filhinha, lembra-se daquele dia quando você saiu com seu vestido novo todo branquinho e um carro, passando, jogou lama em sua roupa? Ao chegar em casa você queria lavar imediatamente aquela sujeira, mas a vovó não deixou. Você lembra o que a vovó falou?

- Ela falou que era para deixar o barro secar primeiro. Depois ficava mais fácil limpar.

- Pois é, minha filha, com a raiva é a mesma coisa. Deixa a raiva secar primeiro. Depois fica bem mais fácil resolver tudo.

Mariana não entendeu muito bem, mas resolveu seguir o conselho da mãe e foi para a sala ver televisão.

Logo depois alguém tocou a campainha.

Era Júlia, toda sem graça, com um embrulho na mão.

Sem que houvesse tempo para qualquer pergunta, ela foi falando:

"Mariana, sabe aquele menino mau da outra rua que fica correndo atrás da gente? Ele veio querendo brincar comigo e eu não deixei. Aí ele ficou bravo e estragou o brinquedo que você havia me emprestado. Quando eu contei para a mamãe ela ficou preocupada e foi correndo comprar outro brinquedo igualzinho para você. Espero que você não fique com raiva de mim. Não foi minha culpa."

"Não tem problema, disse Mariana, minha raiva já secou."

E dando um forte abraço em sua amiga, tomou-a pela mão e levou-a para o quarto para contar a história do vestido novo que havia sujado de barro.

Moral da História:

Nunca tome qualquer atitude com raiva.

A raiva nos cega e impede que vejamos as coisas como elas realmente são.

Assim você evitará cometer injustiças e ganhará o respeito dos demais pela sua posição ponderada e correta diante de uma situação difícil.

Lembre-se sempre:

Deixe a raiva secar!


Enviado por Tete Portugal.



quinta-feira, 7 de junho de 2012

Como podem os cristãos afirmarem que Deus é onisciente e temos Livre arbítrio ao mesmo tempo?




Simples, se ele pode saber o que vamos ou não fazer, existe algo como um destino, do qual tudo é predestinado a acontecer.

Então, não temos livre árbitro seguindo essa linha de raciocínio, porque se Deus sabe que faremos algo e nos decidimos fazer outra coisa, ele não é onisciente, e se ele pode saber o que vamos fazer, nós não temos livre arbítrio.

Dissertem sobre essa contradição bíblica.


________________

Pergunta feita por Layne staley no sítio Yahoo!Respostas.


1ª Resposta dada por Ignácio M.

2ª Resposta dada por Cosmonauta.

3ª Resposta dada por Bill. 
 __________________ 



Uma coisa não anula a outra. O fato de fazermos nossas escolhas em momentos específicos de modo algum é um empecilho para a onisciência de Deus.

Fique com Deus!


 __________________ 

 
Cara, sou praticamente ateu e não concordo com você.

Sendo Deus (hipoteticamente) existente, mesmo tendo conhecimento prévio de tudo o que há por vir, não significa estar interferindo na vida das pessoas. É como o professor numa prova: ele sabe todo o conteúdo da mesma, mas não interfere na sua avaliação.

 __________________ 


Olá, Staley!

A onisciência não determina o futuro, pois onisciência significa conhecer algo e não determinar algo.

E isso não é tão difícil de entender.

Vou dar um exemplo simples.

Imagine, hipoteticamente, que existe um ET que mora em um planeta há 1000 anos luz da Terra.

Ele sempre observa a Terra e o universo em seu potente telescópio.

Num belo dia, ele vê que tem um asteroide gigantesco vindo em direção à Terra, ele percebe que o asteroide está há 2000 anos luz da Terra e que vai destruí-la.

Esse ET, então, resolve vir à Terra para nos avisar. Ele vem na velocidade da luz até aqui, por isso, ele leva mil anos até chegar aqui, assim, o asteroide está, agora, há mil anos luz da Terra.

Ninguém na Terra sabe desse asteroide, apenas o ET. Ele sabe como e quando a Terra será destruída, ele conhece o futuro. Então, como um típico profeta do apocalipse, ele avisa todo mundo sobre o fim do mundo.

Tá entendendo?

Conhecer o futuro não significa determiná-lo.

Ao avisar os habitantes da Terra sobre o asteroide, o ET deu aos terráqueos a chance de defenderem-se e evitar sua destruição, ou seja, deu a eles a oportunidade de mudar o futuro.

Todas as profecias bíblicas tem uma função de alerta e NUNCA de determinismo.

Conhecer o futuro significa apenas ter uma informação a mais, só isso.

É isso.

Graça e paz.



Como se aprende sobre a diferença humana?




Diferente não é quem pretenda ser. Esse é um imitador do que ainda não foi imitado, nunca um ser diferente.

Diferente é quem foi dotado de alguns mais e de alguns menos em hora, momento e lugar errados para os outros. Que riem de inveja de não serem assim, e de medo de não aguentar, caso um dia venham a ser. O diferente é um ser sempre mais próximo da perfeição.

O diferente nunca é um chato. Mas é sempre confundido por pessoas menos sensíveis e avisadas. Supondo encontrar um chato onde está um diferente, talentos são rechaçados; vitórias, adiadas; esperanças mortas.

Um diferente medroso, este sim, acaba transformando-se num chato. Chato é um diferente que não vingou.

Os diferentes muito inteligentes percebem porque os outros não os entendem. Os diferentes raivosos acabam tendo razão sozinhos, contra o mundo inteiro. Diferente que se preza entende o porquê de quem o agride. Se o diferente se mediocrizar, mergulhará no complexo de inferioridade.

O diferente paga sempre o preço de estar - mesmo sem querer - alterando algo, ameaçando rebanhos, carneiros e pastores. O diferente suporta e digere a ira do irremediavelmente igual, a inveja do comum, o ódio do mediano.

O verdadeiro diferente sabe que nunca tem razão, mas que está sempre certo.

O diferente começa a sofrer cedo, já no primário, onde os demais, de mãos dadas, e até mesmo alguns adultos, por omissão, se unem para transformar o que é peculiaridade e potencial em aleijão e caricatura. O que é percepção aguçada em: "Puxa, fulano, como você é complicado". O que é o embrião de um estilo próprio em: "Você não está vendo como todo mundo faz?”.

O diferente carrega desde cedo apelidos e marcações, os quais acaba incorporando. Só os diferentes mais fortes do que o mundo se transformaram (e se transformam) nos seus grandes modificadores.

Diferente é o que vê mais longe do que o consenso. O que sente antes mesmo dos demais começarem a perceber. Diferente é o que se emociona enquanto todos em torno agridem e gargalham.

É o que engorda mais um pouco; chora onde outros xingam; estuda onde outros burram. Quer onde outros cansam; espera de onde já não vem; sonha entre realistas; concretiza entre sonhadores. Fala de leite em reunião de bêbados; cria onde o hábito rotiniza; sofre onde os outros ganham.

Diferente é o que fica doendo onde a alegria impera. Aceita empregos que ninguém supõe. Perde horas em coisas que só ele sabe importantes. Engorda onde não deve. Diz sempre na hora de calar. Cala nas horas erradas. Não desiste de lutar pela harmonia. Fala de amor no meio da guerra. Deixa o adversário fazer o gol, porque gosta mais de jogar do que de ganhar.

Ele aprendeu a superar o riso, o deboche, o escárnio e a consciência dolorosa de que a média é má porque é igual.

Os diferentes aí estão: doendo e doendo, mas procurando ser, conseguindo ser, sendo muito mais.

A alma dos diferentes é feita de uma luz além. Sua estrela tem moradas deslumbrantes que eles guardam para os pouco capazes de os sentir e entender. Nessas moradas estão tesouros da ternura humana dos quais só os diferentes são capazes. Não mexa com o amor de um diferente. A menos que você seja suficientemente forte para suportá-lo depois.

Artur da Távola.

________________

Pergunta feita por Astarte no sítio Yahoo!Respostas.
 

Resposta dada por Bill.
 __________________
 

Bom dia!

Texto interessante.

Sabia que, hoje em dia, ser diferente é fazer o que todo mundo faz?

Antigamente, diziam que fumar maconha era ser diferente, hoje quase todo mundo virou maconheiro. Antes diziam que se destruir em noitadas e virar as costas para o futuro era ser diferente, hoje, aos poucos, isso está virando regra de vida.

Ser diferente não é imitar aqueles que são diferentes, é simplesmente pensar por si, só isso. Analisar com sabedoria os prós e contras das experiências vividas e experiências de outros também, aí decidir o que é melhor pra si.

Ser diferente não é ser original, mas ser livre. Livre de modismos, de costumes ditados por novelas, enfim, cabrestos que servem apenas no povo que vive como gado.

É isso.

Graça e paz.

quarta-feira, 6 de junho de 2012

A sociedade nos muda ou apenas fingimos que somos o que querem que sejamos?



________________

Pergunta feita por Isabar no sítio Yahoo!Respostas.

1ª Resposta dada por Bill.


2ª Resposta dada por ton cam 2001.
 __________________
 
Oi, Isabar!

A sociedade nos forma, mas é a mídia que nos muda.

Somos o fruto da educação que tivemos, das experiências, leituras, conselhos, traumas e etc.

O presente é o resultado de nossa história de vida.

Mas a mídia molda a sociedade, qualquer novo tabu que é quebrado, é a mídia quem o faz, depois a sociedade assimila.

Foi a mídia que elegeu o Collor e depois o derrubou.

Foi a mídia que elegeu a Dilma.

Mas todo mundo pensa que está fazendo as coisas por vontade própria.

Mas a liberdade é ilusória, pois a massa é irracional.

Imagine uma sala com várias pessoas, aí surge um foco de incêndio que apenas você percebeu. Se você chegar até uma pessoa e disser a ela que se acalme e saia com rapidez e em silêncio, é bem provável que ela faça exatamente do modo que você disse. Mas se você dizer as mesmas palavras pra TODO MUNDO ao mesmo tempo, o que vai acontecer é uma esteria coletiva, desespero total e todo mundo vai sair correndo como se fosse estouro de boiada.

Somos racionais apenas individualmente, coletivamente somos irracionais e, portanto, manipuláveis.

A mídia sabe disso, por isso, conduz o povo como se fosse gado.

Dá uma olhada nos links abaixo, vai achar interessante.




Bjs,

Graça e paz.


 __________________
 
 
... A mídia através do marketing e meios televisivos (novelas) consegue ditar as regras de moda e até costumes sim, o governo tbm (de forma ridícula) faz a sua parte, como a cartilha sobre homossexualismo e a aprovação de livros educativos com a escrita totalmente errada, derrubando por terra autores de livros educativos de renome e ainda denegrindo a imagem deles como fizeram com Monteiro Lobato e seu Sitio do Pica-Pau Amarelo, mas, temos de ser íntegros e não nos levarmos por modismo de época, nem continuarmos a acreditar que com esses políticos votados erroneamente, vamos mudar esse quadro doentio que vemos todo dia e que nos impressiona com um escândalo a cada dia. "SOMOS QUEM QUEREMOS SER, SOMOS QUEM PODEMOS SER"...




 __________________
 

Precisamos de um milagre