Seguidores

domingo, 20 de março de 2011

Qual foi o Pecado Original?





- Olá, amigo leitor! Tudo bem contigo?

- Olá, pensador! Sim, tudo bem e tu como estás?

- Tudo bem, também. Faz tempo que não conversamos, hem?

- Sim, faz tempo!

- Ultimamente tenho apenas publicado algumas perguntas e respostas do Yahoo!Respostas e alguns desenhos que fiz, já os vistes?

- Sim, vi alguns desenhos. Gostei deles, apesar do amadorismo, mas deu para apreciar.

- Fico feliz que tenhas gostado, meu sincero leitor! Os desenhos também estão acompanhados de um clip musical, viste? Quando tiveres um tempinho, ficarei muito honrado com tua opinião sobre os desenhos.

- Sim, vi os vídeos musicais e deixarei um comentário assim que puder, pode deixar! Mas nós iríamos conversar sobre algo, não é? Conforme o título lá em cima, creio que é algo sobre o Pecado Original, não é isso?

- Sim, meu querido e apressado leitor (risos), falaremos hoje sobre o Pecado Original. Mas, antes disso, tu sabes qual foi o Fruto Proibido, meu querido e informado leitor?

- Dizem que é uma fruta em uma árvore proibida que Adão e Eva não poderiam comer, mas comeram, certo? Mas muitos dizem que essa fruta, na verdade, simbolizava o sexo e dizem também que o sexo foi o Pecado Original, por isso, a castidade é a maior expressão de santidade que alguém poderia expressar e é graças a isso que os hedonistas odeiam tanto a Bíblia, pois para eles o sexo é a verdadeira razão de viver.

- Muito bem, informadíssimo leitor, vejo que estás atualizado quanto ao pensamento tradicional sobre esse fruto e a reação moderna incentivada pela mídia sobre ele. De fato, para muitos, esse fruto proibido simbolizava o fogo da paixão. Mas contrariando esse pensamento, o que para alguns foi o primeiro ato libidinoso da história, para outros é visto como sendo a verdadeira liberdade, pois para eles o sexo é a razão de viver, a quintessência da existência humana, afirmam inclusive que é o prazer físico que nos torna humanos, instintos à flor da pele, não é? Muitos hedonistas dizem que o herói dessa história na verdade foi a serpente, por isso a admiram.

- Já ouvi falar nisso, muitos admiram o tal “Filho da Alva” também conhecido como a “Estrela da Manhã” e “Portador da Luz”.

- Pois é, amigo! Apenas não vamos esquecer que Jesus também é chamado de estrela da manhã em Apocalipse 22.16, mas lá é outro contexto. Bem, discordando dos hedonistas, creio que comer, beber, dormir e fazer sexo fica bem aquém daquilo que seres racionais podem e precisam fazer. Faz sentido o homem primitivo, no passado, preocupar-se apenas com isso, mas avançamos muito em nosso entendimento, por isso podemos ir além disso. Para mim, creio que nossa inteligência é que nos torna humanos, os animais é que são dominados apenas por instintos.

- Faz sentido!

- Bem, mas tenho uma notícia para dar-te, o sexo não foi o pecado original, afinal, sem ele, não haveria reprodução e nós não existiríamos, não é? O próprio Deus deu a ordem para que o sexo fosse praticado: “Tomai mulheres e gerai filhos e filhas, e tomai mulheres para vossos filhos, e dai vossas filhas a maridos, para que tenham filhos e filhas; e multiplicai-vos ali, e não vos diminuais”, Jeremias 29.6. Mas também deixou claro que não é apenas para reprodução, mas para prazer também: “O marido pague à mulher a devida benevolência, e da mesma sorte a mulher ao marido (...)Não vos priveis um ao outro, senão por consentimento mútuo por algum tempo, para vos aplicardes ao jejum e à oração; e depois ajuntai-vos outra vez (...), 1 Coríntios 7. 3-5. Mas sempre com equilíbrio, bom senso e inteligência, afinal, somos humanos e não bicho.

- Pensador, na verdade, eu já imaginava que o Pecado Original não poderia ser o sexo, isso é apenas implicância de gente que na verdade não se controla, pois não consegue pensar em outra coisa. Hipocrisia, enfim. O Pecado Original, na verdade, é o conhecimento, o saber. Afinal, a árvore proibida chamava-se Árvore do Conhecimento, não é Pensador? Por isso a fé cristã queimou tantos livros no passado e proibiu, perseguiu e queimou qualquer pensamento fora de seus dogmas. Aí surgiu a Reforma Protestante que prometia um retorno aos princípios cristãos originais e uma evolução maior no pensamento religioso, mas vemos no presente que o protestantismo não cumpriu seu papel, pois também amarra a mente de seus fieis, proíbe o desenvolvimento intelectual e classifica como pecado qualquer coisa que não possa entender ao invés de estudar sobre o assunto. É assim, não é?

- Pois é, sempre sincero leitor! Pegaste um pouco pesado, mas fostes firme em teu ponto de vista, muito bem! Concordo com muita coisa que dissestes, apenas não concordo com uma coisa: o Fruto Proibido não foi o conhecimento. Pode até parecer que sim, mas não era isso que ele simbolizava.

“Observe, leitor: Um sábio chinês chamado Shang Yang descreveu muito bem como um tirano deve exercer total controle sobre o povo, o primeiro e principal passo é inibir o desenvolvimento intelectual, pois ele é perigoso e atrapalha qualquer tipo de controle por parte do Estado, pois quem sabe, pensa, e por isso, questiona. No entanto, a Bíblia não proíbe a busca pelo saber, observe o que o apóstolo Paulo disse ao seu discípulo Timóteo: ‘Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá’, 1 Timóteo 4.13. Em Provérbios vemos: A sabedoria é a coisa principal; adquire pois a sabedoria, emprega tudo o que possuis na aquisição de entendimento’, Provérbios 4.7. Em Eclesiastes também vemos: ‘Porque a sabedoria serve de defesa, como de defesa serve o dinheiro; mas a excelência do conhecimento é que a sabedoria dá vida ao seu possuidor’, Eclesiastes 7.12. A conclusão disso é que, afinal, como Deus poderia proibir o desenvolvimento da inteligência humana se foi ele mesmo quem nos deu essa inteligência? Somos o que somos graças a ele. Seria mais sensato pensar que o conhecimento é algo natural e esperado para seres como nós.”

“Só o conhecimento trás o poder, dizia Freud, e é esse poder que governos e mídia querem tirar de nós, pois querem nos reduzir a este estado bestial que os hedonistas defendem, desprovidos de mente e regidos apenas por instintos como se fôssemos animais.”

- Agora foste tu quem pegaste pesado, Pensador! Mas, tudo bem, qual era o Fruto, então?

- Antes de entrarmos no assunto, caro leitor, responda-me: existe o bem e o mal?

- Acredito que o bem e o mal dependem da visão pessoal de cada um.

- Será mesmo, meu caro leitor de mente aberta?

- É errado ter a mente aberta, Pensador?

- De modo algum, se olhares meus textos, verás que sou um pensador livre graças a minha mente bem aberta, arredio leitor! (risos). A grande questão que discutiremos antes de entrarmos diretamente no assunto é se de fato existe bem e mal, pois, afinal, o Fruto Proibido estava na Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal, não é?

-Verdade!

- Observe: Deus criou tudo e, conforme ele mesmo disse, tudo que criou é bom, como por exemplo, aqui: E chamou Deus à porção seca Terra; e ao ajuntamento das águas chamou Mares; e viu Deus que era bom”, Gênesis 1.10. Assim, podemos concluir que ele criou Lúcifer, criou o mundo, criou vulcões e etc, enfim, tudo que ele criou é bom.

- Peraí, Pensador! Deus criou o diabo e os vulcões e isso é bom? Tens certeza?

- Aí é que tá, amigo! É na ação consciente e intencional que está o mal e não na matéria. Deus criou a matéria, mas a decisão para agir não depende dela, pois se imaginarmos hipoteticamente que todos esses personagens acima citados não possuem qualquer tipo de consciência, então seriam apenas matéria, apenas objetos e, tudo isso, apenas como coisa ou objeto, não possue maldade alguma.

-QUE??? Não entendi!

- Vou exemplificar: imagine um vulcão, caríssimo leitor!Imaginou?

-Sim, até sinto o calor!

- Sabemos que um vulcão não possui consciência, certo? Mas, mesmo assim, ele tem uma função importante quanto à formação da crosta terrestre e sua manutenção, não é? Além disso, ele também foi um importante auxiliar na formação de nossa atmosfera em tempos imemoriais. Diante disso, podemos dizer que um vulcão é realmente mau? Ou, na verdade, que ele é bom?

- Sim, precisamos dele, então ele não é mau, é apenas chato, certo?

- Chato? Não, bem humorado leitor! O vulcão é útil e necessário, por isso é bom.

- Acho que aquele pessoal no Chile que teve sua vila destruída há alguns anos atrás por um vulcão vai discordar de ti.

- Será mesmo, leitor? Um vulcão não tem consciência própria, lembra-te? Por isso, com pessoas perto ou não, ele faz o que sempre fez, assim, as pessoas que foram morar perto dele, o fizeram conscientes do que um vulcão é, certo? Ninguém foi obrigado a ir para lá. As explosões de um vulcão são necessárias para que nosso planeta não exploda por causa de sua pressão interna, assim, não há o mal nas explosões de um vulcão, pois tudo o que Deus criou é bom.A matéria não é má, por si mesma.

“Continuando nosso exemplo, leitor: o vulcão ao explodir não faz o mal, certo? Mesmo destruindo uma vila inteira, ele apenas segue sua natureza, só isso. O mesmo ocorre com um leão quando come uma gazela, ele não matou a gazela por ódio, rancor ou preconceito, ele apenas seguiu sua natureza, pois ele também quer viver e a gazela é que o manterá vivo, certo? É apenas a ordem natural das coisas, só isso. Mas, olhe só que interessante, e se o vulcão fosse um ser consciente de suas ações, possuísse inteligência como nós e, por isso, suas explosões, na verdade, fossem para destruir milhares de vidas PROPOSITALMENTE, por pura pilantragem?”



- Bom, aí ele seria um vulcão bem cruel.

- Sim, leitor, aí ele seria mau, muito mau.

- E o diabo?

- O caso dele é o seguinte, observe: Lúcifer (ou Samael como dizem alguns), ao contrário do vulcão, ele foi criado com consciência e é inteligente e poderoso, certo? Ele foi um anjo, era bom, mas decidiu corromper-se. Entretanto, analisando-o apenas do ponto de vista material, ou seja, supondo que ele também não tivesse consciência (assim como o vulcão), veremos que Lúcifer, mesmo após sua expulsão do céu, continuou sendo a mesma coisa que sempre foi, pois a matéria que o forma (seja ela qual for) não mudou quando foi expulso, continuou a mesma coisa, entendes? Assim, materialmente falando, vemos que ele é bom, pois sua matéria ainda é a mesma. Mas, infelizmente, ao contrário do vulcão, sabemos que ele tem consciência, assim, o que mudou nele, de fato, foi sua moral e não sua matéria, estás compreendendo? O problema está na mente dele, pois ela é moralmente corrompida.

- Então você quer dizer que o que existe de fato é o mal moral, é isso? Mas como definir esse tipo de mal se cada um tem sua própria moral?

- O mal moral, questionador leitor, é o mal feito como consequência de uma ação negativa INTENCIONAL.

- Não sei se entendi direito.

- O mal se refere às ações que corrompem a ordem natural das coisas e estabelecem o caos, são ações que contribuem para a destruição e imperfeição INTENCIONALMENTE.

- Mas essa ideia de mal varia entre as pessoas, não é?

- Será mesmo, leitor? Será que um assassino não sabe que matar é mau? Então por que ele tem medo de ser assassinado? O mesmo vale para o ladrão, conheces algum ladrão que ficaria feliz em ser assaltado?

- Bem, olhando por esse lado...

- Assim, podemos concluir que não existe moralidade ou valores na natureza, ou seja, não existe o bem e o mal, mas apenas o acaso. Na vivência humana, porém, existe o bem e o mal, pois somos responsáveis CONSCIENTEMENTE por nossa própria sobrevivência, nossas ações e respectivas consequências, não dependemos de instinto.

- Hum, então é por isso que existe a moralidade, pois ela na verdade funciona como um controle para não nos destruirmos mutuamente. São apenas regras sociais que facilitam a vida em coletividade, é isso?

- Sim, inteligentíssimo leitor! É isso. O bem e o mal, na verdade, são apenas conceitos lógicos e se aplicam a qualquer cultura e em qualquer tempo, pois mesmo em culturas diferentes, a moral e a ética sempre são parecidas, sejam índios, esquimós, europeus, zulus, japoneses, todos vêem, por exemplo, o assassinato, a inveja, a mentira e etc., como algo mau, compreendes? Existe pouca variação em relação ao conceito de ética, mesmo quando a cultura é diferente, pois a diferença muitas vezes está apenas no modo de aplicar a ética, mas não no conceito, necessariamente.

- E o Fruto Proibido?

- Agora que temos uma ideia do que é bem e mal, fica mais fácil entender o que é o fruto ou o que ele representava.

“Muito bem, leitor! Todos nós sabemos que nunca houve uma maçã, mas apenas um fruto que a Bíblia não diz qual era, diz apenas que ficava na Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal. Pra mim, caro leitor, esse fruto era real, literal, e foi o instrumento usado por Deus para garantir e colocar o livre-arbítrio à prova.”

- Livre-arbítrio à prova? Mas qual era o problema deste fruto, afinal?

- Já estamos chegando lá, ansioso leitor! Calma!

“Existe uma frase que é mais ou menos assim: ‘é bom aprender com os próprios erros, mas o sábio aprende com os erros dos outros’. Essa frase, pra mim, sintetiza toda a simbologia que esse fruto carregava.”

- Hã?

- Explico: imagine uma pessoa que nasceu e foi criada entre marginais, com drogas, ódio, sexo e violência diários. Essa pessoa conhece o bem, amigo leitor? Se ela estiver diante do bem, poderá identificá-lo?

- Se nunca viu o bem, então fica difícil para essa pessoa reconhecê-lo, né? Falar sobre bondade, honestidade e amor com alguém assim deve ser complicado.

- Sim, sem dúvida! Se dissermos a ele que amor existe, caridade, honestidade e etc. Ele provavelmente rirá em nossa cara, pois ele terá que experimentar o amor para saber que ele existe, não é? Pois apenas ouvir falar sobre o amor não será suficiente. Agora, pensativo leitor, imaginemos uma situação inversa: e se houver uma pessoa que nasceu em um ambiente totalmente oposto, alguém que viu o bem em toda a plenitude que as pessoas podem expressar, enfim, uma existência pura. Se ele vir o mal, o reconhecerá? Por exemplo, se essa pessoa vir a mentira ou o roubo, ela precisará mentir e roubar para perceber que essas coisas são más?

- Não, claro que não! Ninguém é assim. Qualquer um pode perceber essas coisas apenas observando.

 
- Exato, percebeste bem, atento leitor. Por isso, podemos concluir que quem apenas conhece o mal tem dificuldade para identificar o bem, pois primeiro precisa vivenciá-lo para comprovar a sua existência. Entretanto, o mesmo não ocorre com quem apenas conheceu o bem, pois ele tem condições de identificar o mal sem, contudo, precisar experimentá-lo.

- Isso é interessante.

- Assim, podemos ver que a pessoa pura tem mais condições de se tornar sábia, pois lhe é mais fácil identificar o bem e o mal. A pessoa perversa, ao contrário do que diz o entendimento popular, tem dificuldades em seu discernimento e, portanto, lhe é mais difícil compreender a realidade e o mundo que a cerca.

- Mas como a pessoa pura pode entender melhor o mundo, Pensador? Pureza e ingenuidade são a mesma coisa, então como alguém ingênuo pode compreender o mundo?

- Não, amigo leitor, pureza e ingenuidade não são sinônimos, pessoa ingênua é o mesmo que pessoa otária. Já viste marginal otário?

- Sim, pior que já.

- Marginal otário é o mesmo que marginal ingênuo, mas ele não é uma boa pessoa e nem é puro.

- É, faz sentido, mas o que isso tem a ver com Adão e Eva?

- Tudo a ver, caro leitor! TUDO a ver!

“Observe: Adão e Eva eram puros, apenas conheciam o bem, não havia o mal neles, por isso, eles não precisavam experimentar o mal para conhecê-lo, estás entendendo? Ou seja, eles NÃO precisavam comer do fruto para obter conhecimento intelectual sobre o bem e o mal. É por isso que o pecado original não pode ter sido o conhecimento.”

- Então, qual era o problema? Por que a tal árvore se chamava Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal, então? O fruto dessa árvore traria algum tipo de conhecimento, não é?

- Como disse, o problema não era o conhecimento intelectual, mas o conhecimento experimental.

- E qual é a diferença?

- Observe: a consequência ao comer era que Adão e Eva estavam abrindo mão de sua pureza, entende?

- Abrindo mão da pureza? Então foi por isso que os religiosos do passado pensaram que o sexo é que era o Pecado Original?

- Sim, leitor, foi por isso, mas o sexo em si, como já vimos, não é sinônimo de impureza, afinal, é através dele que a vida se forma, não é? O verdadeiro problema, na verdade, é que ao comer do Fruto Proibido, o mal passaria a fazer parte de Adão e Eva, ou seja, o mal seria incluído na própria natureza deles, entende? O mal passou a ser o companheiro deles (e nosso). Assim, a percepção que eles tinham da realidade ficou prejudicada, pois o bem deixou de ser pleno neles e, portanto, não poderia mais ser identificado com clareza. É isso que acontece conosco hoje também, por isso, temos essa ilusão de que cada um tem sua própria definição de bem e mal.

“Adão e Eva, leitor, foram criados como humanos perfeitos iguais a Jesus Cristo, pois ele teve uma existência humana perfeita, ou seja, assim como ele, o lado natural do primeiro casal (ou lado primitivo) havia sido anulado, eles não eram dominados por instintos ou limitações típicas de seres imperfeitos, eram como Cristo, ou seja, eram mais evoluidos que nós (mas como podemos ver aqui, é possível recuperar e superar aquele estágio). Cristo, como sabemos, percebia o mal nas pessoas com imensa facilidade, mas ele mesmo nunca precisou praticar ou experimentar qualquer tipo de mal, ele era puro (mas sem dúvida não era otário). Assim, ao comer do fruto, Adão e Eva passaram a ter o mal em sua própria natureza, ou seja, eles obrigatoriamente também conheceriam o mal pela experiência, porque o mal passou a fazer parte deles (e de nós). Por isso, não teriam apenas o bem em suas vidas, mas o mal também. Assim, sua perfeição original foi prejudicada.”

- Caramba!

- A consequência natural disso é que, tendo o mal em nós, nossa visão do bem se tornou limitada, pois o mal em nós nos impede de compreender o bem de forma plena. Foi por isso que Deus proibiu que comessem do fruto, pois ele queria evitar isso, pois originalmente, a pureza deles já lhes dava a sabedoria necessária, mas infelizmente eles queriam MAIS. Pensaram que seriam iguais a Deus, pois essa foi uma das mentiras da serpente. Mas eles não eram ingênuos, porque se fossem, não conseguiriam perceber que deram “mancada”, mas perceberam muito bem a besteira que fizeram, por isso se esconderam.Ingenuidade e pureza, como já foi dito, não são sinônimos.

- Mas, Pensador, Deus poderia simplesmente ter tirado essa árvore de lá, ai ninguém comeria deste fruto maldito. Por que ele fez isso?

- Aí é que está, perplexo leitor! Temos livre-arbítrio, por isso, temos o DIREITO de escolher o mal se quisermos, por isso a árvore foi posta lá, para que Adão e Eva decidissem por si mesmos o que queriam, voluntariamente. O fruto estava lá para que tivessem o direito de escolha, assim a liberdade estaria garantida. Porém, escolheram mal.

- Pensador, então o Pecado Original foi, nada mais e nada menos, que a eterna insatisfação inconsequente do homem, não é?

- Pois é, sucinto leitor! Como diz o ditado: “quem muito quer, tudo perde”. Entretanto, nós, hoje, podemos fazer a mesma escolha que eles ou não, pois a cada dia decidimos se permanecemos na escolha de Adão ou não, entendes? Mas a mídia (assim como a serpente naqueles dias) quer escolher por nós e nos condenar à imperfeição, querem anular nossa evolução espiritual, pois sabem que podemos voltar a ser como Adão e Eva eram.

- Como eles eram? Não entendi? Refere-se à perfeição deles?

- Sim, a perfeição deles é possível a nós em vida.

- Mas como podemos fazer isso?

- Isso se refere a um detalhe importante referente à evolução espiritual presente no Salmo 82 e João 10.30-35. Mas falaremos sobre isso em outra ocasião.

- Quê, depois?

- Isso mesmo.

- Por quê, Pensador? Se faz parte do assunto, então por que deixar para depois?

- Isso, na verdade é outro assunto, o assunto atual é a queda do homem através do Pecado Original.

- Pisaste na bola, hem Pensador? Pisaste feio, cara! Mas pelo menos diga: é possível ser puro hoje em dia?

- Para alguém se tornar puro, obviamente, precisa de purificação, ou seja, um grande esforço para localizar e retirar o mal de sua vida, mas para tornar isso possível, então precisará internalizar regras, pois precisa da regra para tornar-se como uma criança de novo.

- Como uma criança, como assim?

- A criança ainda não tem o mal dentro de si e é este estado que devemos buscar, pois, como já vimos, para ver e perceber o mal, o mal não pode estar em nós.

- Que regras são essas e como podem ajudar?

- Quando uma criança está crescendo, ela fica curiosa e quer mexer em tudo, não é assim? Inclusive onde é perigoso, como uma tomada, uma faca, um revólver e etc. Por isso, cabe aos pais impor limites para que a criança seja protegida, ou seja, regras são criadas. Essas regras protegem e educam, pois a disciplina também é uma forma de aprendizado, entendes?

- Mais ou menos.

- Observe: como não podemos perceber o mal e nem o bem em sua plenitude, então precisamos de referências para identificá-los, precisamos ser ensinados a percebê-los e entendê-los. Essa é uma das funções da regra.

- Mas que regras são essas, Pensador? Diga de uma vez!

- Essas regras estão contidas nas leis de Deus (e nas leis dos homens também), elas existem apenas para a proteção das pessoas e da sociedade, assim como as regras que os pais impõem. Entretanto, amigo leitor! Em relação à Lei de Deus, existe um diferencial interessante, observe: quando uma criança que foi bem educada cresce e torna-se adulta, as "leis" que seus pais impuseram-lhe ainda valem? Ou seja, ainda é proibido mexer na tomada, em uma faca ou revólver?

- Não, claro que não é.

- Exatamente, por isso, quando uma criança cresce e se torna adulta, ou seja, madura, a maturidade lhe trás um conhecimento bem maior do mundo, de modo que as regras infantis perdem o sentido. As Leis de Deus, leitor, também funcionam assim, sabias? Ou seja, com a maturidade vem a liberdade. Foi isso que Jesus quis dizer quando falou: E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará", João 8.32. O adulto, leitor, conhece a verdade sobre a tomada, por isso, pode ser eletricista se quiser. Isso é liberdade. Concluindo, sendo o corpo nossa parte irracional, cabe ao espírito (possuidor de nossa inteligência) dirigi-lo. Mas se nosso entendimento não for desenvolvido, maduro, então, as consequências serão, obviamente, terríveis, pois não terá controle algum sobre o corp, será como um animal (e poderá ser dominado como se fosse um animal também). Por isso, existem leis para nossa própria proteção, sobrevivência e instrução. Porém, havendo maturidade, essas leis tornam-se desnecessárias.

“O conhecimento da verdade trás liberdade”.

“Apenas crianças ainda precisam de regras.”

“A pureza que Deus quer de nós é aquela que foi originada na retirada do mal em nós e fixada com nossa maturidade.”

“Por favor, leitor! Quando tiveres um tempinho, leia este texto sobre mídia.”



É isso,

Graça e paz.

Christian Brito.


________________________




Olá, meu amigo leitor e minha amiga leitora!

Esta é a primeira vez que faço um acréscimo em um texto publicado aqui, mas senti a necessidade de fazê-lo, pois uma amiga, que também é leitora deste blog, ficou com algumas dúvidas sobre o texto e as encaminhou por e-mail. Como eram dúvidas muito interessantes, achei que seria importante colocá-las como acréscimo.

Achei por bem não colocar o nome dela, pois cita alguns fatos de sua comunidade.

Espero que este acréscimo seja de muito proveito a todos.

Obrigado,

Graça e paz!

_____________________


Oi querido, tudo bem!

Visitei o seu Blog, amei sua explicação sobre "Pecado original”, amei mesmo, meus parabéns!!

Mas tem uma passagem bíblica que me deixa em dúvida sobre o pecado original, já busquei informação, mas cada um interpreta de uma forma.

O que você me diz sobre o que Davi escreveu no Salmo 51:5?

"Eis que fui nascido em iniquidade, e em pecado me concebeu minha mãe”.

Se quiser comentar, eu te agradeço!

♥ Beijos ♥

_________________


Oi, XXXX!

Interessante sua dúvida.

Normalmente, muitos acreditam que esse salmo refere-se ao sexo, afinal, menciona conceber em pecado, mas os animais também concebem, as plantas concebem e etc., isso significa que plantas e animais pecam? Além disso, sabemos que Deus valoriza a vida, afinal, foi ele mesmo quem a criou, mas é o sexo que torna a vida possível, não é? Também foi Deus quem criou o sistema reprodutivo de todos os seres, inclusive o humano, logo, foi Deus quem criou o sexo.

Conforme alguns textos que coloquei no blog, vemos com clareza que o próprio Deus mandou que o povo fizesse sexo, afinal, eles precisavam se multiplicar, não é?

Qual é o problema, então?

O problema é a herança.

Conforme vimos no texto acima, Adão e Eva adquiriram uma natureza imperfeita ao comer do Fruto Proibido, não é? Antes de comerem do fruto, eles eram puros e sem maldade alguma, após comerem do fruto, o mal passou a fazer parte da natureza deles.

Maldade e pecado são a mesma coisa, entende?

Sendo assim, na verdade, Davi refere-se à maldade que ele herdou de sua mãe e a natureza imperfeita que ela tinha. Tudo isso é herança de Adão e Eva.

A mãe de Davi era pecadora quando o concebeu, pois tinha uma natureza pecadora, por isso, Davi nasceu pecador também.

É isso que ele quer dizer no salmo, ele apenas está dizendo que também é pecador, só isso.

O mesmo ocorre comigo, com você, com seus filhos e com os filhos que eu terei, pois em pecado vivemos e em pecado concebemos, pois essa é a nossa natureza, foi isso que herdamos de Adão e Eva.

Somos pecadores por natureza.

Espero ter ajudado.

Qualquer coisa, é só retornar o e-mail, tá?

Bjãozão.

_________________

Oi!!

Entendi, mas entendi por partes!

Sendo os pais pecadores e os filhos nascidos em  pecado, não seria isso uma maldição?

Mas o próprio Deus disse que os filhos não herdariam o pecado dos pais: Ezequiel 18.20.

" O filho não herdará a maldade do pai, nem o pai levará a maldade do filho.” .

Deuteronômio 24.16:

"Os pais não serão mortos pela culpa dos filhos; nem os filhos pela culpa dos pais; cada qual morrera pelo seu pecado”.

Sendo assim, fica muito difícil interpretar certas passagens bíblicas, mesmo sabendo que nela não há mentiras!

Espero resposta, tá bom?

Beijos.

__________________


Oi, XXXXX!

Fico feliz que tenha confiado em mim para fazer essas perguntas, isso também me ajuda a aperfeiçoar meus textos, pois se você tem essas dúvidas, então, provavelmente, outras pessoas também devem ter, assim, posso aperfeiçoá-los colocando essas questões também.

Antes de entrar na resposta, a grande questão é a seguinte: o que é maldade de fato? Afinal, como alguém puro age?

Um fariseu perguntou a Jesus qual era ao maior mandamento, não é? A resposta de Jesus foi: amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo. Ou seja, o amor é o maior mandamento. Então, concluímos, que toda a pureza que Deus exige de nós está contida na capacidade de amar. O apóstolo Paulo disse que quem ama cumpre a Lei, não é?

“A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei.” Romanos 13.8.

Quem ama não mata, não rouba etc., pois, mesmo sem conhecer a Lei, a pessoa que ama cumpre-a, ou seja, quem ama não faz maldades, quem ama como Jesus amou é puro.

A pureza está no amor sem manchas, que só pode ser praticado através de uma vida sincera e verdadeira. Isso é pureza.

Isso significa que a natureza impura que herdamos de Adão é uma maldição?

Não, não é?

Sabe por quê?

O pecado não está em nossa natureza caída, não é isso que nos condena diante de Deus, o que nos condena é o fato de continuarmos nela voluntariamente.

Deus não cobra de nós aquilo que não podemos fazer, logo, não faz sentido ele exigir de nós um nascimento puro, não é? Pois isso não depende de nós. O que ele exige é um NOVO nascimento, entende? Isso nós podemos fazer.

Assim, é uma questão de escolha permanecer na natureza decaída de Adão ou não. Não somos obrigados a nascer puros, pois a natureza impura não pode ser mudada, entretanto, também não somos obrigados a permanecermos impuros, nós podemos e devemos nos purificar.

Assim, não é pecado ou maldição nascer impuro, o pecado é permanecer impuro.

É o amor que nos purifica, é o amor que nos limpa da impureza herdada de Adão.

Espero ter ajudado.

Qualquer coisa, estou aqui.

Bjão.

___________________

Olá querido!

Perdoe-me não responder antes. Tive que ir ao ensaio do Coral!

Mas entendi tudo, entendi principalmente sobre amar ao próximo.

Mas existem pessoas que não amam ao próximo e se batizam aceitando o sacrifício de Jesus, as tais continuam no pecado?

E as que amam ao próximo, mas não aceitam o sacrifício de Jesus e nem querem se batizar?

E os espíritas, que fazem a obra dizendo fazê-la por amor ao próximo, mas não aceitam a Jesus?

O que acontece com muitos crentes que odeiam seu irmão por  causa  de "picuinhas" dentro da Igreja? Será que amam?

Sabe, Chris! Fazer a vontade de Deus por fazer é muito fácil, mas fazê-la por amor é o que menos vemos, sendo assim, será que o mundo todo está em pecado ou a graça de Jesus nos basta?

A cada dia que  passa, eu entendo menos o ser humano!

Ahh! Na minha congregação tem um obreiro que esta em  adultério, ele leva a amante para a igreja e abandona a mulher e o filho de quatro anos de idade, que é autista, a própria sorte... Segundo sua mulher, ele gosta de fazer a obra do Senhor e roga à esposa que não conte a situação para o pastor da igreja. Ela por piedade, e por medo de ele se "afastar" do Evangelho (rsrs), fica calada e sofrendo!

Qual espécie de amor esse homem pratica?

Beijos


______

Excelentes perguntas, XXXX!

Não é por obras ou merecimento que a salvação acontece [novo nascimento], mas por fé (dá uma olhadinha aqui, tá tudo bem explicadinho). Como resultado da fé, as boas obras e a capacidade de amar surgem em nossos corações.

Quais são os sintomas de uma pessoa gripada? São espirros, tosse e etc., certo? A capacidade de amar é o principal “sintoma” de quem foi salvo por Jesus [nasceu de novo], pois o amor de Deus é derramado em seu coração. Entretanto, existem aqueles que não possuem fé, mas, sinceramente e sem pretender algo em troca, conseguem amar verdadeiramente.

Eles podem ser salvos?

Sim, podem.

O objetivo da fé é despertar o amor em nós, logo, quem já ama não precisa ser desperto. Conforme (Rm 13.8), vemos que o amor cumpre a Lei de Deus, assim, quem ama está verdadeiramente justificado diante de Deus, é alguém sem dolo [culpa].

Deus não possui amor ou o conhece, pois, em verdade, ele é o próprio amor (1 Jo 4.8). Então, inevitavelmente, quem ama conhece a Deus.

Peço (e insisto) que leia mais este outro texto, pois esse assunto é bem polêmico e pode gerar muitas dúvidas, nesse link está bem explicado.

A doutrina espírita dá à “evolução” espiritual um caráter meritório, assim, eles fazem boas obras para merecer algo melhor em outra vida. Isso não é amor, mas puro interesse, ou seja, o bem ao próximo é feito para benefício próprio apenas. Não há como o amor verdadeiro surgir em meio a um sentimento mesquinho desse tipo. Entretanto, não havendo sentimento mesquinho algum por parte deles, então, pra eles também vale o que foi dito acima, ou seja, quem ama conhece a Deus e por ele é salvo.

Deus se revela a quem o busca, mesmo que não seja uma busca consciente. O amor verdadeiro e sem qualquer interesse pessoal, o amor altruísta e sacrificial é o amor Ágape, que conhecemos como amor de Deus. Quem possui o amor de Deus, então o conhece.

“Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor.” 1 Jo 4.8

A fé nos dá acesso a Deus quando nos falta amor pra isso, a fé também desenvolve o poder de Deus adormecido em nós, afinal, ele nos fez a sua imagem e semelhança, basta ver aqui e aqui. Quem não tem fé, mas tem amor, talvez não desenvolva o “poder” mencionado nos links acima, mas conhecerá a Deus com o tempo e será certamente instruído por ele.

Como ele saberá que é Deus?

Jesus é o amor de Deus.

Em relação aos crentes em nossas igrejas que odeiam seu irmão ou aquele que abandonou família e filhos como você disse, há duas situações em que podemos encaixá-los:

1. São crentes recém-nascidos e ainda não desenvolveram o amor de Deus, o Ágape; ou

2. Na verdade, não são crentes, não são convertidos, não são de Deus.

O verdadeiro amor é desprovido de interesses, por isso, primeiro somos salvos pela fé, após isso, o amor torna-se uma consequência natural. Não é necessário mérito para ser salvo, assim, quando já somos salvos, amamos à vontade sem sentir-nos obrigados a isso.

Entretanto, quem não tem fé e nem mesmo conhece a Deus, mas, voluntariamente, esvaziou-se de si mesmo, de seu orgulho ou amor próprio apenas pela satisfação de colocar no rosto de outras pessoas um sorriso de alegria e paz. Uma pessoa dessas não tem preço e o amor de Deus certamente está nela, Deus irá se revelar a essa pessoa e a tomará para si, pode ter certeza. Essa pessoa possui o amor verdadeiro. Deus é amor, logo, ela possui Deus (1 Jo 4.8).

Pessoalmente, nunca vi alguém desenvolver o amor desse modo, apenas vi desenvolvê-lo pela fé em Jesus, mas através do amor pelo amor apenas, eu nunca vi, pois, de um modo geral, sempre há algum interesse por trás de uma boa ação, SEMPRE há. Entretanto, o amor desenvolvido como consequência da fé não é desprovido de valor, obviamente. Entre os primeiros cristãos, a coragem dos seus mártires nos provou isso, pois, pela fé, foram fiéis a Deus pelo seu amor a Ele e por ele morreram; também pela fé, seu amor foi suficiente para garantir sua fidelidade a seus irmãos de fé e a protegê-los da morte através do próprio sacrifício; também pela fé, seu amor foi tão grande a ponto de, mesmo correndo risco de morrerem, ainda assim, sua piedade ao próximo ficou registrada na história.

Morreram por esse amor, foram torturados em nome dele.

Eram gente que o mundo não merecia.

Mas nós somos seus herdeiros, somos o fruto do sacrifício deles, somos o resultado de sua obra de sangue e amor.

É vergonhoso não termos suas qualidades se também temos acesso à mesma fé que tiveram.

Você relatou brigas entre irmãos e um pai cristão que abandonou sua família.

É isso que somos.

Todos nós, sem exceção.

Apenas cometemos o mesmo mal de outro jeito, só isso.

Vivemos uma época em que é considerado errado sentir vergonha, uma época que Deus não habita mais junto de seu povo, pois não o conhecem.

“Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor.” 1 Jo 4.8

Pra nós, cristãos, é época de clamor e arrependimento, vivemos como nos tempos de Icabode (1Sm 4.21), pois a glória de Deus foi embora.

Mas a mão dele ainda está estendida, pois seu amor é infinito.

É isso.


5 comentários:

  1. Interessantíssimo!!
    Adorei o seu texto e toda a explicação!
    Mas.... preciso te fazer uma pergunta, e vou perguntar por E-mail, ta bom?
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi amiguinho, que bem que você explica.
    Adorei! Só que tenho um problema: não sou muito amiga de ler. E por isso gosto mais de texto mais pequenos, para não perder o raciocínio.

    Obrigado pelo seu trabalho!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. É QUERIDO IRMÃO GOSTO DE VC. POIS A SUA MENTE É ABERTA. E O IRMÃO É MUITO ESPERTO..........!!!!!!!!!!!!!!! NÃO É QUE NEM ALGUNS QUE LEEM O TEXTO NÃO SABEM INTERPRETÁ-LO ???!!! E JOGA PALAVRAS NAS NOSSAS BOCAS! MAS O IRMÃO É DIFERENTE........É DISSO QUE PRECISAMOS NA PALAVRA DE YAOHU! NÃO MUDAR O QUE JÁ ESTÁ POSTO...........MAS TER UM NOVO ENTENDIMENTO. POIS JÁ SOMOS CRESCIDOS E NÃO NOS SUSTENTAMOS MAIS COM "LEITE" O QUE PRECISAMOS E DO SÓLIDO!!! MAS OS IRMÃOS NÃO SUPORTAM............. É COMO COLOCAR O VINHO NOVO EM ODRE VELHO. ESTOURA.........E É ISSO QUE ESTÁ ACONTECENDO HOJE EM DIA EM TODO LUGAR..........VC. SABE DE UMA COISA: O CRIADOR NÃO MUDA SEUS ATOS PARA CONOSCO..........!!!! SOMOS NÓS QUE MUDARMOS NOSSOS ATOS PARA COM ELE DAÍ A NOSSA RESPONSABILIDADE..............................VALEU VARÃO. SHALÔM. É MUITO BOM FALAR COM PESSOAS QUE ACEITAM O VINHO NOVO E SABEM DEGUSTÁ-LO.......ASSIM É A PALAVRA............................ABRAÇO. ANSELMO. PS. OS IRMÃOS QUE ESTOURAM O ODRE. VOLTAM AO SEU PRÓPRIO VOMITO...........TODOS ESTES TERMOS SÃO PALAVRAS QUE ESTÃO NA "LECHOM ha QODESH" AS LETRAS SAGRADAS! "HA KAOTAV" (A ESCRITURA SAGRADA). POIS, A BÍBLIA CONTÉM ADULTERAÇÕES..... LIVROS QUE ERAM JUNTOS FICARAM SEPARADOS! NÚMEROS DE CAPÍTULOS VERSÍCULOS QUE NÃO HAVIA! O NOME DO CRIADOR FOI ADULTERADO PARA NÃO SER PRONUNCIADO E É BLASFEMADO INCESSANTEMENTE COM UM NOME DE UM DEUS PAGÃO - BAAL - QUE TAMBÉM LEVA O NOME DE SENHOR. E SENHOR NÃO É NOME DE DEUS!!! O FILHO VEIO COM NOME ADULTERADO POIS SEU POVO ESPERAVA UM PROFETA UM REI SALVADOR E BRIGÃO! E, COLOCARAM SEU NOME DE YESHUA - QUE POR VONTADE DO PRÓPRIO DEUS MUDOU PARA SEU NOME PRÓPRIO - "YAOHUSHUA" (Fp 2,9-11); "At 4,12" "SHUA" = "SALVAÇÃO"! O NOME DE DEUS DERIVA DE UM VERBO = "SER". "SENHOR NÃO É VERBO É UM SUBSTANTIVO! Jo 1,1-14; Ap 19,13; Êx 3,15; 6,3 - VERBO - E O VERBO SE FEZ CARNE E HABITOU ENTRE NÓS!! (NÃO O "SENHOR"!). ENTÃO PORQUE SABER SEU NOME??? POR ISTO: Rm 9,25-33.11.12.13-15.16.17.18-19.20; 11,11.29-32 POIS TODOS QUE CREREM NO SEU NOME "NÃO SERÃO CONFUNDIDOS"! ROMANOS 8,9! EFÉSIOS 4,5 "UM SÓ DEUS"; E, PORQUE O HONRO PELOS SEUS SACRIFÍCIOS POR TODOS OS PECADORES.... E TAMBÉM PORQUE QUERO FAZER PARTE DE SEU TESOURO PARTICULAR: HEBREUS 13,5-13; MALQUIAS 3,16-18; (Fp 2,9-11) UM NOME ACIMA DE TODO NOME. E BAAL QUER DIZER SENHOR DO ESTERCO.!!!!!!!!!!!! DESCULPAS IRMÃO! É QUE TAVA INSPIRADO........ANSELMO ESTEVAN.

    ResponderExcluir
  4. josé de camargo enviou uma mensagem para você em Uniao de Blogueiros Evangelicos

    Assunto: cristos não significa yaohushua significa o ungido o abençoado mais o nome do eterno prevalece yaoh+

    ------------
    Ungido".[1] O termo grego, por sua vez, é uma tradução do termo hebraico מָשִׁיחַ (Māšîaḥ), translierado para o português como Messias.[1]
    Cristo é o termo usado em português para traduzir a palavra grega Χριστός (Khristós) que significa ungido


    A palavra é normalmente interpretada como o apelido de Jesus por causa das várias menções a "Jesus Cristo" na Bíblia. A palavra é, na verdade, um título, daí o seu uso tanto em ordem direta "Jesus Cristo" como em ordem inversa "Cristo Jesus", significando neste último O Ungido, Jesus. Os seguidores de Jesus são chamados de cristãos porque acreditam que Jesus é o Cristo, ou Messias, sobre quem falam as profecias da Tanakh (que os cristãos conhecem como Antigo Testamento). A maioria dos judeus rejeitam essa reivindicação e ainda esperam a vinda do Cristo (ver Messianismo judaico). A maioria dos cristãos esperam pela Segunda vinda de Cristo quando acreditam que Ele cumprirá o resto das profecias messiânicas.
    A expressão "Jesus Cristo" surge várias vezes nos escritos gregos da Bíblia, no Novo Testamento, e veio a tornar-se a forma respeitosa como os cristãos se referem a Jesus, Homem Judeu que, segundo os evangelhos, nasceu em Belém da Judeia e passou a maior parte da sua vida em Nazaré, na Galileia, sendo por isso chamado, às vezes, de Jesus de Nazaré ou Nazareno. O título Cristo, portanto, confere uma perspectiva religiosa à figura histórica de Jesus.
    A área da teologia cujo foco é a identidade, vida, e ensinamentos de Jesus é conhecida como Cristologia.
    Khristós no Grego clássico poderá significar coberto em óleo, sendo assim uma translação literal de messias.





    O mais antigo painel iconográfico do Cristo Pantocrator, datado do século VI.




    Este Jesus não fala não vê não ouve este Jesus é o mais antigo da historia este é o falso deus mundial este Jesus é ambiguação que quer dizer, não esta claro para mim, mais eu aceito. bom este nome grego grega Χριστός (Khristós) desculpe a foto não entrou.este jesus qué é idolatrado pelo povo religioso do mundo inteiro sem exeção de religião .trocaram o criador pela criatura :esta chamada de O ESTATUA pelo proprio yaohu ulhim o criador eterno de yaoshorul.
    ------------ESTE É UM QUERIDO IRMÃO QUE TAMBÉM, LEVANTA A VERDADE JUNTO COMIGO...... ANSELMO.

    ResponderExcluir
  5. SIM! SIM! SIM! CONCORDO COM O QUERIDO IRMÃO EM: GRAU, GÊNERO E NÚMERO! POR QUE? POR ESTES VERSÍCULOS DA "BÍBLIA": ROMANOS 1,18-27 (OS HOMENS QUANDO DERAM UM SUBSTANTIVO COMUM AO QUAL QUAQUER HOMEM É CHAMADO: "SENHOR" SE DENOMINA UM SEMIDEUS E ADORA A SÍ MESMO COMO FALA PAULO EM Rm 1,18-27! E DESTA FORMA ENTREGANDO ESSES HOMENS A OPERAÇÃO DO ERRO: 2Ts 2,7-12. (1Co 5,7-11; Rm 16,17) E, O LIVRO DE JUDAS!!!! MAS VC. TEM CERTEZA DISSO?? SIM!! VEJA: Rm 2,24; Lv 24, 10-16; Is 2,10-18; 3,7,17; 7,18.20-21.23; 11,10-11; 24,21; 27,1; 52,5-6; Ez 16,27; 36,20-23; Os 2,16; Mq 4,5; Zc 14,9. E SOMENTE PARA REFORÇAR: At 4,12; Ef 4,5; At 17,23; Êx 20,7; Fp 2,9-11; Hb 13,5-13; Ml 3,16-18; Is 42,8; 26,8; 4,12; Cl 1,28!!!! SE NÃO FICA UM CEGO GUIANDO OUTRO E OS DOIS CAÍRAM NO BURACO..........POR ISSO NÃO VEJA O TEXTO CORROMPIDO..........!!!!!!!!!! MAS VEJA COM OS OLHOS DE UM DEUS QUE VAI REIVINDICAR A SANTIDADE DE SEU SANTO NOME: "HALLELU-YAH"!. POIS TODOS SÃO SEUS SEGUIDORES, "OS QUE CREEM NO SEU NOME" NÃO SERÃO ENVERGONHADOS!!! MAS TÊM QUE SER SEU NOME NÃO UMA INVENÇÃO: ROMANOS 9,25-33. 11,12.13-15.16.17.18-19.20; 11,11.29-32!!!!!! TENHO DITO. ANSELMO.

    ResponderExcluir